VISÃO GERAL DA ESTRATÉGIA SEIS SIGMA

    A grande maioria dos benefícios do Seis Sigma reside exatamente na sua metodologia de implementação e no uso correto e "sábio" das ferramentas e técnicas estatísticas que devem ser utilizadas. Simplificações na aplicação da metodologia, como a redução do número de pessoas treinadas e envolvidas no processo, podem acarretar resultados decepcionantes, muito aquém do desempenho que o Seis Sigma pode efetivamente propiciar.

    Empresas como a Bombardier, GE, Polaroid, ABB e Seagate designaram um alto executivo para, em tempo integral, conduzir, incentivar e supervisionar as iniciativas Seis Sigma em toda a organização. O responsável pela estratégia deve desenvolver um amplo plano para implementar e disseminar o Seis Sigma pela empresa. É ele que deve selecionar os executivos (diretores e gerentes) que desempenharão o papel de Champions ("Campeões") na organização. A principal responsabilidade dos mesmos é fazer com que equipes multifuncionais se empenhem no desenvolvimento de projetos específicos de melhoria e de redução de custos. Os Champions devem ser capazes de pavimentar o caminho para as mudanças necessárias e para a integração de resultados.

    São os Champions que definem as pessoas (ou a pessoa, dependendo do porte da organização) que irão disseminar os conhecimentos sobre o Seis Sigma por toda a empresa, e irão coordenar uma determinada quantidade de projetos. Tais pessoas são os Black Belts ("Faixas Pretas"), que dedicam 100% de seu tempo ao Seis Sigma. Normalmente, os Black Belts conduzem nas empresas de 4 a 6 projetos por ano que podem gerar melhorias de US$ 75 mil a US$ 175 mil por projeto, em termos de redução de custos, melhoria dos tempos de ciclo do produto ou serviço, eliminação de defeitos e incremento significativo da satisfação do cliente. A duração de cada projeto depende da complexidade, da disponibilidade de equipamentos de medição apropriados e da verba alocada para o mesmo.

    A escolha de um candidato a Black Belt deve ser bastante criteriosa. Suas principais características pessoais devem ser as seguintes:

  • Ter experiência de pelo menos 5 anos em sua área de atuação (pode ser tanto engenheiro como administrador, por exemplo);
  • Ter sólidos conhecimentos de Estatística (não é necessário ser um especialista, mas é imprescindível saber o que é média, desvio-padrão, teste de correlação, análise de variância etc);
  • Ter excelente compreensão da língua inglesa (a maioria das publicações sobre o Seis Sigma é em inglês);
  • Ser dinâmico e ter a firme disposição de efetuar mudanças (pessoas que ficam esperando que lhes digam o que fazer, não servem para ser Black Belts);
  • Ter habilidade para organizar e acompanhar projetos, e para coordenar equipes de trabalho multifuncionais.
  • É fundamental, portanto, que o futuro "Faixa Preta" possua habilidades de liderança. Um dos maiores desafios de um Black Belt é fazer com que outras pessoas pratiquem novas formas de trabalho. Seu foco deve se concentrar em ensinar e auxiliar os funcionários da organização na análise e controle dos processos em que os mesmos atuam. Seu tempo deve estar voltado para estudar, pensar e aprender como inovar na solução de problemas e no aumento da lucratividade.

    Em grandes empresas, há também a figura do Master Black Belt, que, também em tempo integral, assessora os Champions na identificação de projetos de melhoria, além de coordenar todo o trabalho dos demais Black Belts.

    Um outro "personagem" do Seis Sigma são os chamados Green Belts ("Faixas Verdes"). São funcionários de toda a organização que dedicam apenas parte de seu tempo aos projetos Seis Sigma. Eles têm menos responsabilidades no processo e, normalmente, se envolvem em projetos diretamente relacionados ao seu dia-a-dia de trabalho. Os Green Belts recebem, uma versão mais simplificada do treinamento a que são submetidos os Black Belts. Suas tarefas básicas podem ser resumidas de duas maneiras: auxiliar os Black Belts na coleta de dados e no desenvolvimento de experimentos, e liderar pequenos projetos de melhoria em suas respectivas áreas de atuação.

    O quadro a seguir dá uma visão geral das características básicas dos principais "personagens" da estratégia Seis Sigma.

     
    CHAMPIONS
    BLACK BELTS
    GREEN BELTS

    QUALIFICAÇÕES

    Diretores e gerentes.

    Familiaridade com Estatística.

    Formação superior.

    Sólidos conhecimentos de Estatística.

    Experiência técnica e administrativa.

    Familiaridade com ferramentas estatísticas básicas.

    TREINAMENTO

    Três dias de treinamento

    (30 horas).

    Quatro meses de treinamento

    (200 horas + projeto).

    Dois meses de treinamento

    (100 horas + projeto).

    NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS TREINADOS

    Um Champion por área-chave da empresa.

    Um Master Black Belt para cada 30 Black Belts

    (em grandes empresas).

    Um Green Belt

    para cada 20 funcionários.

    A metodologia DMAIC

    Existem cinco fases ou estágios básicos para se obter o desempenho Seis Sigma em um processo, divisão ou empresa. Essas cinco fases são conhecidas pela sigla DMAIC: Define (definir), Measure (medir), Analyse (analisar), Improve (melhorar) e Control (controlar).

    Na fase Define, são identificados os projetos Seis Sigma que serão desenvolvidos na empresa, com o objetivo primeiro de satisfazer as expectativas dos clientes em termos de qualidade, preço e prazo de entrega. A habilidade da organização em atender a essa expectativa está intimamente ligada à variação de seus processos (queremos aqui nos referir a qualquer tipo de processo, abrangendo tanto os administrativos ou transacionais, como os de serviços, vendas e manufatura). A variação de processos tem um impacto direto nos resultados financeiros da empresa em termos de custo, tempo de ciclo e número de defeitos, falhas e erros que afetam a satisfação do cliente. A identificação de projetos Seis Sigma permite à organização reconhecer como os seus processos afetam sua lucratividade, e permite definir quais desses processos são críticos para o negócio da empresa.

    A fase Measure abrange ações relacionadas à mensuração do desempenho de processos e à quantificação da variabilidade dos mesmos. Através de consenso entre os integrantes da equipe Seis Sigma da empresa, são identificadas as "Variáveis de Entrada de Processos-Chave "(KPIVs) e as "Variáveis de Saída de Processos-Chave" (KPOVs). Nessa fase, são utilizadas ferramentas básicas como, por exemplo: as métricas Seis Sigma, a Análise de Sistemas de Medição (MSA), a Análise de Modos de Falha e Efeitos (FMEA) e o Desdobramento da Função Qualidade (QFD).

    Na fase Analyse, são analisados os dados relativos aos processos estudados, com o objetivo principal de se conhecer as relações causais e as fontes de variabilidade e de desempenho insatisfatório de tais processos, visando a melhoria dos mesmos. Nessa fase, as ferramentas utilizadas incluem: visualização de dados, testes de hipótese, análise de correlação e regressão, e análise de variância.

    A fase Improve consiste, fundamentalmente, no desenvolvimento de Projetos de Experimentos (DOE), com o objetivo de se conhecer a fundo cada processo, através da mudança estrutural de níveis de operação de diversos fatores, simultaneamente, do processo em estudo. A informação obtida com o DOE auxilia a identificar o ajuste das variáveis-chave para modificar e otimizar o referido processo.

    Na fase Control, são implementados diversos mecanismos para monitorar continuamente o desempenho de cada processo. Entre as técnicas adotadas, destacam-se as seguintes: Cartas de Controle (Target Chart, Nominal Chart, Z Chart, CUSUM Chart), Planos de Controle, Testes de Confiabilidade e Processos à Prova de Erros

    Atuação do QSP

    No início do ano 2000, o QSP, visando trazer para o Brasil a tecnologia internacional mais avançada existente, estabeleceu uma parceria com a empresa americana Smarter Solutions, especializada em Seis Sigma, considerada uma das mais atuantes nessa área em todo o mundo.

    Em 2003, graças ao desenvolvimento de cursos nacionais por nossos consultores e instrutores, com o mesmo padrão internacional dos treinamentos realizados em convênio com a Smarter Solutions, o QSP reduziu substancialmente o preço (mais de 40%) dos seguintes cursos:

    Seminário para Executivos - Liderança para o Seis Sigma
    Evento com 8 ou 16 horas de duração (1 ou 2 dias), destinado a presidentes, diretores, gerentes e outras pessoas-chave da organização que necessitam ter uma compreensão geral dos princípios do Seis Sigma, para desenvolver e dar suporte à infra-estrutura necessária para o sucesso da estratégia.

    Treinamento de Champions
    Curso com 30 horas de duração (3 dias), destinado a diretores e gerentes seniors que dirigirão e darão suporte à implementação do Programa Seis Sigma na organização, especialmente aos projetos a serem desenvolvidos pelos Black Belts.

    Formação e Certificação de Green Belts
    Treinamento com duração total de 2 meses, composto pelas seguintes atividades: aulas teóricas e práticas (100 horas); acompanhamento opcional dos projetos desenvolvidos pelos candidatos a Green Belt (40 horas/mês). A certificação será concedida aos participantes que concluírem com sucesso seus respectivos projetos Seis Sigma.

    Formação e Certificação de Black Belts
    Treinamento com duração total de 4 meses, composto pelas seguintes atividades: aulas teóricas e práticas (200 horas); acompanhamento opcional dos projetos desenvolvidos pelos candidatos a Black Belt (40 horas/mês). A certificação será concedida aos participantes que concluírem com sucesso seus respectivos projetos Seis Sigma.

    O QSP acompanhou ou está acompanhando, no Brasil, o desenvolvimento de projetos Seis Sigma em diversas empresas, entre elas: ALCAN, ASHLAND RESINAS, BRASKEM, COBAFI, DELPHI, ETHYL, GRACE, GC - GESTION EN LA CALIDAD - ARGENTINA, GS PLÁSTICOS GUARDIAN, HALLIBURTON SERVIÇOS, HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN, KAISER, MICROSOFT, MONSANTO, POLICARBONATO, RR DONELLEY - CHILE, REDOMA INDÚSTRIAS GRÁFICAS, RENNER SAYERLACK, ROBERT BOSCH, SANTANENSE, SCHOTT DO BRASIL, TAPON CORONA, TENNECO, THYSSEN KRUPP AUTOMOTIVE SYSTEMS DO BRASIL e UNILEVER HPC - ARGENTINA.

    Além dos cursos abertos, os treinamentos para a formação de profissionais em Seis Sigma podem também ser realizados nas empresas para um grupo fechado de participantes. Informações pelo e-mail: cursos@qsp.org.br.

    Outras atividades desenvolvidas pelo QSP nessa área incluem: terceirização de Black Belts, para organizações que desejam realizar projetos Seis Sigma de alto retorno financeiro em curto espaço de tempo (de 3 a 6 meses), sem a necessidade de altos investimentos em recursos humanos, equipamentos, materiais de apoio etc; e a medição do Sigma de processos, através de uma metodologia própria que engloba desde o mapeamento dos processos de interesse até a apresentação de recomendações para aumentar o Sigma dos mesmos. Mais informações sobre essas atividades podem ser obtidas através do e-mail: consultoria@qsp.org.br.

    Leia também:  

Untitled

Obtenha sua Certificação Profissional Internacional na ISO 31000 de Gestão de Riscos.
O Exame Nacional é realizado Online e Supervisionado ao Vivo pela Internet.
Veja aqui.
 

 


HOME | ASSOCIE-SE | PORTFÓLIO ISO 31000 | PORTFÓLIO QSMS | SOFTWARES | PUBLICAÇÕES | FALE CONOSCO

© 1991 – 2022, QSP.  Todos os direitos reservados